O QUE DISTINGUE O DESENVOLVIMENTO DO ATRASO?

É através do conhecimento que se combate o atraso, a pobreza e as desigualdades. E que se promove a igualdade de acesso a oportunidades ao longo da vida.

Tudo se aprende. Aprendemos conhecimentos variados na escola e em outros locais: ler e escrever, jogar à bola, correr, fazer contas, brincar, cozinhar, costurar, pintar, dançar, tocar piano ou violino, cantar, programar, fazer experiências, observar com lupa e microscópio, conduzir, etc. Aprendemos a viver juntos e a viver com os outros, aprendemos a ser pessoas responsáveis, aprendemos a fazer escolhas e a intervir na sociedade.

Quanto mais sabemos, mais coisas somos capazes de aprender e de fazer. Mais competências temos.

Tens dúvidas?

O QUE SE ESPERA DE UM ADULTO EM 2030?

Imaginas o que se espera de um adulto em 2030?

Estamos em 2017 e pouco se sabe sobre o futuro. Mas sabemos que, nos últimos anos, o mundo mudou muito. E sabemos, também, que quem aproveitou as oportunidades que a escola lhe deu, fazendo as aprendizagens todas desde o 1º ciclo - saber e saber fazer, respeitar e intervir - não teve problemas de aprendizagem ao longo da vida.

Também sabemos que o mundo está em constante mudança: que a tecnologia avança a cada dia que passa, que são descobertas causas de doenças e novas forma de as tratar, que cada vez se conhece melhor a profundidade dos oceanos, as potencialidades do cérebro humano, os efeitos prejudicais ao ambiente e à saúde de produtos que usamos há anos (plásticos, pesticidas e outros químicos) e as alterações que o planeta Terra está a sofrer devido a decisões que, ao longo de décadas, não respeitaram o ambiente e os seres vivos.


ENSINO OBRIGATÓRIO ATÉ AO 12º ANO

ENSINO OBRIGATÓRIO ATÉ AO 12º ANO
No 12º ano, à Saída da Escolaridade Obrigatória, terás de garantir aprendizagens - saber e saber fazer, respeitar e intervir - que te permitam trabalhar em Portugal ou noutro país, tomar decisões e participar na sociedade de modo responsável. Um verdadeiro cidadão! Compreendes, agora, por que motivo são tão importantes as aprendizagens desde o 1º ciclo? Porque te permitem fazer novas aprendizagens nos ciclos seguinte e, no 12º ano, quando terminares o ensino obrigatório, terás garantido o Perfil do Aluno.

quarta-feira, 3 de janeiro de 2018

PROJETO "AMBIENTE: cuidar agora para herdar depois!"

AMBIENTE: Cuidar agora para herdar depois!

Nos próximos dias vais aprender de modo diferente. E verificar que é muito mais simples perceber situações do dia a dia, e resolver algumas delas, se usares aprendizagens que fazes em várias disciplinas. 
Mas, para aprenderes, tens de fazer  a tua parte: esforço, curiosidade, apresentar dúvidas e sugestões, colaborar nos processos, estar atento ao que se passa à tua volta (em tua casa, na escola, na freguesia, na cidade) e contribuir para que os problemas sejam resolvidos.

HAVIA TANTO LIXO?
O que mudou em Portugal desde o início do séc. XX?
Em 1950, não havia leite em pacote (o leite era vendido ao litro ou em garrafas de vido), nem iogurte, nem bolos embalados, nem pacotes de sumos e de refrigerantes, nem cereais de pequeno-almoço de pacote, etc. Usava-se embalagens de metal para conservar o peixe e o leite condensado, garrafas de vidro para o vinho e outras bebidas alcoólicas e, nas cidades grandes, para o leite. As compras levavam-se para casa em cesto de palha ou de pano.
Para a higiene do corpo havia sabonete e para lavar a louça,  a roupa ou o chão, havia sabão. 
O primeiro refrigerante à venda em Portugal foi o Sumol, em 1954. 
Mais tarde surgiu um detergente para a roupa. Mas não havia para a louça, nem para o chão;  nem gel de banho; nem ambientadores; nem amaciados de cabelo, nem produtos em spray, etc.
Tudo era diferente!
O consumidor (quem compra) comprava diretamente ao produtor (quem produz: lavrador ou fábrica) ou ao comerciante (mercearia), onde o produtor deixava os seus produtos. O comerciante tinha uma pequena loja, a mercearia.
Nessa época nem todas as casa tinham eletricidade. Podes perguntar a pessoas mais idosas da tua família quando tiveram eletricidade em casa.
E, se não havia eletricidade, também não havia frigorífico que, nessa altura, era muito caro em Portugal. Também não havia máquina de lavar a roupa, nem de lavar a louça e, por isso, não havia detergentes para máquinas. A roupa era lavada no rio ou num tanque, à mão, com sabão.
Quais os resíduos (lixo) que as famílias produziam?
Em 1960 eram muito poucos os produtos embalados (vendidos dentro de pacote). Assim, quando se preparava a comida, só havia resíduos de alimentos: cascas de batata, de fruta, restos de legumes, etc. Cada casa produzia poucos resíduos e, como eram orgânicos (partes de plantas) muitas famílias aproveitavam para colocar numa rima, no quintal, onde faziam compostagem. Produziam adubo natural que "alimentava" as plantas da horta.
Quando se passou a usar embalagens em todos os produtos?
Mais tarde, começaram a surgir embalagens para acondicionar produtos e, assim, aumentar a sua conservação, segurança e durabilidade. Quando as famílias passaram a ter frigorífico, este eletrodoméstico facilitou a conservação dos alimentos. Mas, até 1970, a maior parte das famílias não tinha, ainda, frigorífico.
                                                                                 Ampliar                        
A História do frigorífico F.Prazeres-J.Fresco-E.F.A –S3-Escola Ferreira dias-Agualva-cacem
Retirado aqui
Na década de 80, do século passado, começou a haver exigências quanto à rotulagem de alimentos (informação sobre o produto: como é feito, quem produziu, validade, quantidade, etc). Essa foi uma luta de organizações de consumidores pelo DIREITO à INFORMAÇÃO. E, em Braga, a Cooperativa Novos Pioneiros foi muito ativa nessa luta, tanto  a nível nacional como a nível europeu.

Sem comentários:

Publicar um comentário

PERFIL DOS ALUNOS À SAÍDA DA ESCOLARIDADE OBRIGATÓRIA

O que distingue o desenvolvimento do atraso é a aprendizagem. Tudo se aprende na vida e ao longo da vida:  aprendemos conhecimentos varia...