O QUE DISTINGUE O DESENVOLVIMENTO DO ATRASO?

É através do conhecimento que se combate o atraso, a pobreza e as desigualdades. E que se promove a igualdade de acesso a oportunidades ao longo da vida.

Tudo se aprende. Aprendemos conhecimentos variados na escola e em outros locais: ler e escrever, jogar à bola, correr, fazer contas, brincar, cozinhar, costurar, pintar, dançar, tocar piano ou violino, cantar, programar, fazer experiências, observar com lupa e microscópio, conduzir, etc. Aprendemos a viver juntos e a viver com os outros, aprendemos a ser pessoas responsáveis, aprendemos a fazer escolhas e a intervir na sociedade.

Quanto mais sabemos, mais coisas somos capazes de aprender e de fazer. Mais competências temos.

Tens dúvidas?

O QUE SE ESPERA DE UM ADULTO EM 2030?

Imaginas o que se espera de um adulto em 2030?

Estamos em 2017 e pouco se sabe sobre o futuro. Mas sabemos que, nos últimos anos, o mundo mudou muito. E sabemos, também, que quem aproveitou as oportunidades que a escola lhe deu, fazendo as aprendizagens todas desde o 1º ciclo - saber e saber fazer, respeitar e intervir - não teve problemas de aprendizagem ao longo da vida.

Também sabemos que o mundo está em constante mudança: que a tecnologia avança a cada dia que passa, que são descobertas causas de doenças e novas forma de as tratar, que cada vez se conhece melhor a profundidade dos oceanos, as potencialidades do cérebro humano, os efeitos prejudicais ao ambiente e à saúde de produtos que usamos há anos (plásticos, pesticidas e outros químicos) e as alterações que o planeta Terra está a sofrer devido a decisões que, ao longo de décadas, não respeitaram o ambiente e os seres vivos.


ENSINO OBRIGATÓRIO ATÉ AO 12º ANO

ENSINO OBRIGATÓRIO ATÉ AO 12º ANO
No 12º ano, à Saída da Escolaridade Obrigatória, terás de garantir aprendizagens - saber e saber fazer, respeitar e intervir - que te permitam trabalhar em Portugal ou noutro país, tomar decisões e participar na sociedade de modo responsável. Um verdadeiro cidadão! Compreendes, agora, por que motivo são tão importantes as aprendizagens desde o 1º ciclo? Porque te permitem fazer novas aprendizagens nos ciclos seguinte e, no 12º ano, quando terminares o ensino obrigatório, terás garantido o Perfil do Aluno.

domingo, 28 de janeiro de 2018

À CONVERSA COM... O DOUTOR JORGE PAIVA

O Doutor Jorge Paiva é Botânico (um Biólogo que se dedica ao estudo das plantas) e tem dedicado a sua vida à investigação, percorrendo os continentes em busca de novas plantas. Plantas com utilidade para a população local, em várias partes do mundo, muitas delas plantas medicinais que se revelam de garante importância para o tratamento de doenças.
Retirado aqui
É um apaixonado pela natureza, um homem que sempre passou mais tempo no terreno do que na Universidade de Coimbra (Departamento de Ciências da Vida e Jardim Botânico), onde trabalhava. 
Descobriu plantas até então desconhecidas. Foi um dos autores da Flora Ibérica.
Desde que se reformou continua  a trabalhar, mas dedica-se também à divulgação da ciência juntos dos mais jovens. 
Tem atuado junto do Governo, como cidadão, pressionando para que sejam tomadas decisões que protejam a floresta, a água, a biodiversidade, etc. Escreve para jornais nacionais, chamando a atenção para problemas graves relativos ao ambiente e que exigem resposta da parte do governo ou dos cidadãos. 
É uma voz ativa, em termos de ambiente, no panorama nacional. É um cidadão respeitado pelos políticos.
Apesar de ser botânico, vai falar-nos principalmente sobre a ÁGUA. No âmbito do projeto do 5º1 e 5º2. Esta será uma conversa com uma pessoa que viaja de um modo muito diferente do habitual...
E que, por isso mesmo, tem muito para nos contar.
E foi mesmo assim... 
Com a simplicidade e boa disposição que lhe é habitual, o Doutor Paiva apresentou imagens que demonstram a importância da água para os seres vivos, conversou com os alunos sobre as consequências da falta extrema de água e da poluição dos oceanos  e respondeu a perguntas colocadas pelos mais curiosos.



quinta-feira, 25 de janeiro de 2018

VISITA À BRAVAL. Tu separas. A Braval encaminha para reciclagem!

Depois da pesquisa sobre a origem das embalagens (ciclo do vidro, do papel, do plástico, do metal) e dos usos que ainda podem ter como material (separas o lixo e colocas no ecoponto? ou colocas os resíduos juntos no mesmo saco?), nada melhor do que uma visita à Braval, a empresa para onde vão os plásticos, metais, vidros, papel e pilhas, que colocamos no ecoponto. E também recebe o óleo usado que encaminha para a fábrica que produz o biodiesel (Óleo +).
A sessão inicial, com a engenheira da Braval, permitiu perceber que material usado e velho ainda tem uso, pois é enviado para empresas que o vão reciclar, transformando-o em novo material.
Mas, o material que não separas é desperdiçado, pois fica acumulado no aterro sanitário da Braval.
O QUE FAZER?
Aqui
REPENSAR... pensar antes de comprar. 
Exº: Quantas embalagens tem o produto que queres comprar?
RECUSAR...  evitar o consumo exagerado e desnecessário. Exº: não comprar produtos que prejudicam o ambiente; não comprar produtos com várias embalagens ou com embalagens grossas e grandes, etc.
REDUZIR ... diminuir a quantidade de lixo. Desperdiçar menos e comprar só o necessário.
REUTILIZAR... dar novo uso a materiais que já não são úteis para nós. 
Exº: Dar roupa a quem sirva, usar frascos de compota para guardar feijão, etc.
RECICLAR... transformar produtos usados em novos produtos. 
Exº: separar o lixo e colocar no ecoponto, para que a Braval encaminhe para a fábrica que o vai transformar em novo material. O plástico usado é transformado em pneus.

SEPARAR É O QUE ESTÁ A DAR! 
SEPARAR PARA NÃO DESPERDIÇAR!
E NO ECOPONTO COLOCAR!
Observa as imagens e relembra o que observaste e aprendeste:






sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

COMPLEXO DAS SETE FONTES: aula de campo com água, património e paisagem

Nada melhor do que um dia de sol para uma aula de campo no Complexo das Sete Fontes.
Aprender assim, matérias de várias disciplina e num sítio com tantas surpresas, parece ter agradado a este grupo de curiosos. A entrada nas galerias do Sistema de Abastecimento de Água à Cidade de Braga no séc. XVIII, caminhando na escuridão com a luz ténue de um foco e, de repente, descobrir a água a sair pelas mães-d'água, foi uma sensação muito estranha ao princípio e, também, divertida, para muitos alunos destas duas turmas de 5º ano. Foi uma forma estranha de caminhar! Gostaram?
Alguém ficou com dúvidas que há muita água nas Sete Fontes? 
Alguém ficou com dúvidas por que razão o Sistema de Abastecimento de Água à Cidade de Braga, do séc. XVIII, foi classificado como monumento nacional (o mais alto estatuto atribuído a um monumento)?
Mas foram várias as perguntas:
  • Por que razão há uma rede a cercar os terrenos em redor do monumento?
  • Por que razão foram construídos prédios quase em cima do aqueduto que leva água à cidade?
  • Para que servem os respiros?
  • Por que razão as galerias têm tetos diferentes?
  • Para que serve a "bacia" de granito que recebe a água dentro da mina?
  • Onde estão os lençóis de água subterrâneos de onde sai a água que, de vários lados, chega a cada mina? 
  • Quem salvou este monumento? Como? Há quantos anos?
As imagens não deixam dúvidas sobre o modo como correu esta manhã, que terminou com o registo das descobertas relativas ao tema ÁGUA.
No Complexo das Sete Fontes foi possível aprender Português, História e Geografia, Ciências, Matemática e Educação Visual. E, também, testemunhar a importância da força dos cidadãos na defesa do interesse público, neste caso da ÁGUA, do PATRIMÓNIO e da PAISAGEM. 







Registo da informação recolhida(junto à Mina do Dr Amorim)




O tema de trabalho destas turmas - "A ÁGUA EM BRAGA" - tem permitido muitas descobertas, desde o passado ao presente. 

domingo, 14 de janeiro de 2018

VISITA AO RIO ESTE: o que descobriste?

Retirado aqui
Conheces o rio Este? 
Como era no passado?
Onde é  a nascente?
De onde vem a água que chega ao rio Este?
Onde desagua?
A que rio está ligado?
O rio Este chega ao mar?
Que largura tem? Qual é o comprimento?
Quais os animais que têm habitat no rio e nas margens?
Que plantas há nas margens do rio? São autóctones ou invasoras?
Quais são os principais problemas do rio Este?
1º - descobrir o rio nos mapas da cidade.

2º - o percurso ao rio permitiu dar resposta a várias questões.

Vimos alguns aspetos bons: pista pedonal, papeleiras e bancos. 

E descobrimos vários problemas: não tem peixes, tem cimento e granito dos lados e no fundo, uma tampa de saneamento aberta, uma tenda e cadeiras no rio, lixo acumulado na margem e casas muito perto do rio, na zona inundável. 
Comunicamos à AGERE e ao Vereador do Ambiente o problema que se vê na imagem. Pouco depois a AGERE informou que a tampa já estava fechada. Conseguimos resolver um problema!


SONS DA NATUREZA

A melhor forma de conhecer um rio é fazer um percurso a pé. Hoje em dia é fácil um contacto próximo com os cursos de água pois temos ecovias e vias podonais que permitem a aproximação ao rio.
A pouca distância de Braga temos a ecovia do rio Lima e a do rio Vez. Cá em Braga, no rio Este, temos uma via pedonal ciclável. No rio Cávado, dentro em breve, teremos uma ecovia que nos permitirá ir a pé, ou de bicicleta, até à foz. em Esposende.

Hoje vais descobrir sons da natureza? Em silêncio, com os olhos fechados, ouve os sons e tenta perceber se são de aves, sapos, rãs, quedas de água, ramos de árvores, etc. 
Do lado esquerdo deste blogue, em Projeto "RIO ESTE: conhecer para proteger", tens mais sons que podes ouvir.


terça-feira, 9 de janeiro de 2018

TRABALHO

Agora podes começar a preparar uma apresentação sobre cada um dos assuntos que estudaste.
Faz um esquema antes de iniciar.

segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

PROJETO TEMÁTICO - dá a tua opinião

Dá  a tua opinião sobre o trabalho temático que estás a realizar. No final, em "comentários".

Aprendizagens:
  • Aprendes melhor desta forma? Ou é mais difícil? Porquê?
  • Do lado direito tens ligação a vários assuntos sobre o TEU projeto. Ajudou no trabalho?
  • Foi fácil trabalhar com o guião? Ajudou a fazer aprendizagens?
  • O que mais te agrada neste projeto? O que te agrada menos?
  • Como se comportam os teus colegas? Melhor ou pior? Porquê?
  • Há mais colegas interessados e a colaborar no projeto? Ou distraídos e a perturbar?
O que gostaste mais nas visitas de estudo?

O que mais estranhaste nas visitas de estudo?
  • Há algum assunto que, na tua opinião, mereça um alerta à Camara ou à Junta de freguesia de Maximinos? Qual?

CAUSAS DA POLUIÇÃO DA ÁGUA: como resolver o problema?

Sabes que há água doce (dos riso, lagos e lençóis de agua subterrâneos) e água salgada (do mar).  E que só há 1% de água doce no estado líquido, o que é muito pouco. E que parte dela está poluída.  
Ora a água doce é um recurso essencial aos seres vivos. E corremos o risco de haver falta de água nos próximos anos. Por isso se diz que a água é considerada um bem precioso.  
Sabes que só podemos beber água potávelMas sabes, também, que muitos rios, lençóis de água subterrâneos e poços, têm a água inquinada (com micróbios ou produtos químicos) e, por isso mesmo, não  a podemos beber. Quem bebe água poluída fica muito doente.
Sabes quais são as causas da poluição da água doce?
  • gastar água a mais quando se lava os dentes, toma banho, lava a roupa ou  louça;
  • ligar efluentes domésticos (esgotos de casas) para os rios e lagos;
  • deitar lixo para os rios e lagos ou fazer lixeiras junto à margem;
  • acumular lixo em lixeiras; os constituintes do lixo passam para os lençóis de água subterrâneos e causam poluição dessa água;
  • usar adubos e pesticidas em excesso, que vão contaminar os lençóis de água subterrâneos;
  • deitar óleo usado na sanita ou na banca; é difícil retirar esse óleo durante o tratamento dos esgotos que fazem nas ETARs; por isso há campanhas de recolha de óleo aumentar usado;
  • deitar medicamentos fora de prazo na sanita; por isso devem ser entregues na farmácia;
Consulta as notícias que seguem:
- Rio Este vítima de mais uma descarga ilegal (maio 2014)
Nova descarga poluente no rio Este, em Braga (agosto  de 2017)

O que podes fazer, em tua casa, para evitar a poluição da água? Apresenta soluções em "comentários". Indica o nº e a turma.

Sabias que o melro-de-água se alimenta de larvas de insetos e outros animais pequenos que só vivem águas não poluídas?
Assim, se num rio há muitos melros-de-água, significa que a água não está poluída. Para saberes mais sobre o melro-de-água consulta a informação.

O LIXO QUE PRODUZIMOS... um grande problema que temos de resolver!

O LIXO É UM PROBLEMA LOCAL. MAS TAMBÉM É UM PROBLEMA GLOBAL!
Foi a partir da altura em que os produtos começaram a ser embalados, que as famílias começaram a produzir cada vez mais lixo. E, como muita gente colocava o lixo em lixeiras, surgiram graves problemas ambientais e doenças na população. E, quando as lixeiras eram junto a rios ou a ribeiros, acabavam por ir ter ao mar causando a morte de animais marinhos. 
Em Braga, no rio Este, tem havido campanhas de limpeza para retirar lixo. Mas, enquanto a população deita lixo para o chão, não se consegue resolver o problema do rio. Daí que seja preciso que as pessoas respeitem o ambiente e coloquem os seus lixos nos ecopontos. 
Observa a imagem. Vês o que aconteceu à tartaruga por ter ficado presa no plástico? Sobre este assunto procura, do lado direito deste blogue, os filmes sobre poluição de rios e oceanos.
Retirado aqui
POR QUE RAZÃO DEVEMOS SEPARAR O LIXO E COLOCAR NO ECOPONTO?
O lixo abandonado...
Quanto mais pobre e ignorante é a população, mais lixo acumula! Rios cheios de lixo (rio Este)! Fundos do oceano cheios de lixo! Esta é a realidade em muitos países.
Cá em Portugal ainda encontramos lixeiras em locais escondidos, apesar de termos recolha de lixo e ecopontos espalhados pela cidade e freguesia mais rurais! O lixo polui o solo. É arrastado pela chuva até aos rios e, dos rios, vai parar ao mar. No oceano mata peixes, golfinhos, tartarugas, aves, etc.
Este é um problema ambiental que Portugal tem de resolver.

Conheces o ciclo do material das embalagem?
Observa as embalagens que recolheste. Qual o material usado em cada uma? 
Sabes qual a origem de cada um desses materiais? Consulta o ciclo de vida do papel, do plástico, do metal  e do vidro (do lado direito do blogue).
Se colocas a embalagem usada no ecoponto vais colaborar na reciclagem e permitir que se fabrica material novo a partir da embalagem usada. Mas, se não colocas no ecoponto, vai ser necessário retirar da natureza mais árvores para fazer papel, areia para fazer o vidro, minerais para fabricar metal e petróleo para fabricar plástico.
Preenche a tabela do guião.
Quanto tempo leva a decompor-se cada material?
                                                                                            Ampliar
Retirado aqui
Abandonar resíduos ao ar livre = doenças+poluição da água e ar+morte de animais+perda de material reciclável

Para onde vão os resíduos que caem na terra?
Será que chegam até nós? Como?
Se a lixeira for ao lado de um rio, o que pode acontecer quando há inundações? Onde vai parar o lixo?
O que vês nesta imagem?
Ampliar

QUE QUANTIDADE DE RESÍDUOS FORAM RECOLHIDOS EM BRAGA ?
A imagem indica-nos a quantidade de resíduos  recicláveis,  provenientes de ecopontos, em 2016.

Cá em Braga, a população ainda não percebeu que deve separar os resíduos e colocar no ecoponto! 

  • Em 2016 Braga produziu, no total, 76.272 toneladas de resíduos. 
  • Destes, 13.194 toneladas foram enviadas para reciclar (inclui embalagens, pilhas, círios e velas, pneus);
  • Sendo que 11.518 toneladas de resíduos recicláveis eram provenientes dos ecopontos.
Quantas toneladas de resíduos não foram reciclados?
Para onde foram esses resíduos?

Onde devo colocar os resíduos orgânicos?
O que são resíduos orgânicos? Descobre aqui.
                                                                           
A TUA ATITUDE PODE CONTRIBUIR PARA A SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL
(consulta a informação facultada pela Braval) 
Ampliar



Material usado não é lixo! Sabias que se fabricam novos objetos a partir dos resíduos que colocas no ecoponto?




Ampliar






Quando separas resíduos para reciclagem estás a evitar que se retirem novos materiais da natureza e que se causem problemas na paisagem. 
Com o material usado faz-se material reciclado. 
Vê o que se obtém  a partir do vidro,   papel/cartão, plástico e metal, quando são colocados no ecoponto.




REGRAS DE SEPARAÇÃO DE MATERIAL
Ampliar
Ampliar
Ampliar

domingo, 7 de janeiro de 2018

A ÁGUA EM BRAGA, NO SÉC. XXI

1. Onde há água em Braga, no séc. XXI?
Consulta as informações:
2. De onde vem a água que sai da torneira de nossas casas?
A água que sai das torneiras da tua casa, e que é fornecida pela Agere, vem do rio Cávado.
É na Estação de Tratamento de Águas (ETA) da Ponte do Bico, que a água é recolhida, analisada e tratada, antes de entrar na canalização que a leva a nossas casas. 
É sujeita  a grande controlo ao longo do dia e, como tal, oferece-nos qualidade e segurança.
Sabes que a água doce é insípida, incolor e inodora. Mas, se a água que sai nas torneiras da tua casa não for assim, é importante verificar se a canalização está em bom estado. Se acontecer um dia, e voltar ao normal, então devemos informar a AGERE.

3. Para onde vai a água da chuva?


4. Para onde vai a água suja que produzimos em nossas casas?
À água suja (das máquinas de lavar louça e roupa, da nossa higiene pessoal, da sanita, da lavagem da casa, etc.) chamamos esgoto. Mas o termo correto é efluentes domésticos.
Estes líquidos seguem pelos tubos do saneamento até à ETAR onde são tratados antes de serem encaminhados para o rio. Assim se protege a vida selvagem e os nossos rios.
Há desperdício de água?
Se deixares a torneira aberta enquanto lavas os dentes, o que acontece à água que foi gasta enquanto escovavas?
Será que precisas de tomar banho de chuveiro durante 10 minutos? Para onde vai a água que gastaste  a mais?
Se, em tua casa, ligarem a máquina da roupa ou da louça sem estar cheia, gastam água desnecessária.
Para onde vai a água que gastamos a mais em nossas casas?
O que podemos fazer para evitar gasto desnecessário de água?

5. Quais as principais causas da poluição da água cá em Braga?


6. Como posso saber se uma água de fontanário é segura?
Num fontanário tem de existir uma tabuleta que nos dá  informação. Só podes beber se indicar "ÁGUA POTÁVEL". Procura mais informação aqui.

7. É mais seguro beber água da rede pública ou água engarrafada?
Ambas são seguras. Mas a água da rede pública, é analisada muitas vezes ao dia e tratada. E é mais barata do que a água engarrafada.
Sabes que a água doce é insípida, incolor, e inodora. Mas, se a água que sai nas torneiras de tua casa não for assim, é importante verificar se a canalização está em bom estado. Se acontecer um dia e voltar ao normal, então devemos informar a AGERE.








8. Qual a função da ETA (estação de tratamento de água)? 
A ETA e retira a água do rio Cávado, analisa-a e verifica se é potável. Trata a água sempre que necessário.
Qual a função da ETAR (estação de tratamento de águas residuais)? Trata o esgoto e, depois, quando a água está limpa e sem micróbios, encaminha-a para o rio.

9.  Qual a importância da água no clima?
Quando há muitas árvores e água ...
Se não houver árvores e água ...

VISITA AO MUSEU D. DIOGO DE SOUSA E A MONUMENTOS DE BRACARA AUGUSTA

Para obter informações sobre a Água no Passado, os alunos do 5º1 e do 5º2 visitaram o Museu D. Diogo de Sousa e monumentos de Bracara Augusta: as Termas Romanas (que permitiram perceber como funcionava um SPA no tempo dos romanos, quem o frequentava e quem lá trabalhava) e a Domus da Escola Velha da Sé. Observaram o Teatro Romano (escondido por baixo da terra, junto às termas romanas) e a Ínsula das Carvalheiras (esquecida e escondida atrás de prédios). Perceberam que Bracara Augusta também tinha um Fórum e um Anfiteatro. Sabe-se onde eram, mas estão escondidos por baixo da cidade atual.
Grande parte de Bracara Augusta representada na exposição  "Era uma vez uma cidade" continua escondida por baixo da terra. Uma cidade com mais de 2000 anos e que ainda não valorizou  grande parte da cidade romana "Bracara Augusta".
Depois visitaram o balneário pré-romano (anterior aos romanos) na estação da CP. Foi mais uma descoberta sobre o passado de Braga, realizada durante as obras de construção da nova estação.
De que século é esse balneário? Quem o usava ? Para que era usado?
No Museu D. Diogo de Sousa, onde recolheram informação que lhes permitiu responder às questões do guião do projeto "A ÁGUA EM BRAGA!", viram peças relacionadas com a Água:
Uma maquete que nos mostra como eram as termas no tempo dos romanos.  


Nas Termas Romanas - "museu" - viram o que resta desse tempo:
No Museu D. Diogo de Sousa também viram telhas, canalizações (em barro, em pedra e em chumbo) e ânforas que serviam para transportar água ou outro produtos.
Viram, também, o que resta da ínsula das Carvalheiras:
E a Dómus da escola Velha da Sé, que foi descoberta durante as obras da Junta de Freguesia de Maximinos (onde era  a escola da Sé).
Maquete da dómus                                                                   Dómus na forma de museu
.     

quarta-feira, 3 de janeiro de 2018

PROJETO "AMBIENTE: cuidar agora para herdar depois!"

AMBIENTE: Cuidar agora para herdar depois!

Nos próximos dias vais aprender de modo diferente. E verificar que é muito mais simples perceber situações do dia a dia, e resolver algumas delas, se usares aprendizagens que fazes em várias disciplinas. 
Mas, para aprenderes, tens de fazer  a tua parte: esforço, curiosidade, apresentar dúvidas e sugestões, colaborar nos processos, estar atento ao que se passa à tua volta (em tua casa, na escola, na freguesia, na cidade) e contribuir para que os problemas sejam resolvidos.

HAVIA TANTO LIXO?
O que mudou em Portugal desde o início do séc. XX?
Em 1950, não havia leite em pacote (o leite era vendido ao litro ou em garrafas de vido), nem iogurte, nem bolos embalados, nem pacotes de sumos e de refrigerantes, nem cereais de pequeno-almoço de pacote, etc. Usava-se embalagens de metal para conservar o peixe e o leite condensado, garrafas de vidro para o vinho e outras bebidas alcoólicas e, nas cidades grandes, para o leite. As compras levavam-se para casa em cesto de palha ou de pano.
Para a higiene do corpo havia sabonete e para lavar a louça,  a roupa ou o chão, havia sabão. 
O primeiro refrigerante à venda em Portugal foi o Sumol, em 1954. 
Mais tarde surgiu um detergente para a roupa. Mas não havia para a louça, nem para o chão;  nem gel de banho; nem ambientadores; nem amaciados de cabelo, nem produtos em spray, etc.
Tudo era diferente!
O consumidor (quem compra) comprava diretamente ao produtor (quem produz: lavrador ou fábrica) ou ao comerciante (mercearia), onde o produtor deixava os seus produtos. O comerciante tinha uma pequena loja, a mercearia.
Nessa época nem todas as casa tinham eletricidade. Podes perguntar a pessoas mais idosas da tua família quando tiveram eletricidade em casa.
E, se não havia eletricidade, também não havia frigorífico que, nessa altura, era muito caro em Portugal. Também não havia máquina de lavar a roupa, nem de lavar a louça e, por isso, não havia detergentes para máquinas. A roupa era lavada no rio ou num tanque, à mão, com sabão.
Quais os resíduos (lixo) que as famílias produziam?
Em 1960 eram muito poucos os produtos embalados (vendidos dentro de pacote). Assim, quando se preparava a comida, só havia resíduos de alimentos: cascas de batata, de fruta, restos de legumes, etc. Cada casa produzia poucos resíduos e, como eram orgânicos (partes de plantas) muitas famílias aproveitavam para colocar numa rima, no quintal, onde faziam compostagem. Produziam adubo natural que "alimentava" as plantas da horta.
Quando se passou a usar embalagens em todos os produtos?
Mais tarde, começaram a surgir embalagens para acondicionar produtos e, assim, aumentar a sua conservação, segurança e durabilidade. Quando as famílias passaram a ter frigorífico, este eletrodoméstico facilitou a conservação dos alimentos. Mas, até 1970, a maior parte das famílias não tinha, ainda, frigorífico.
                                                                                 Ampliar                        
A História do frigorífico F.Prazeres-J.Fresco-E.F.A –S3-Escola Ferreira dias-Agualva-cacem
Retirado aqui
Na década de 80, do século passado, começou a haver exigências quanto à rotulagem de alimentos (informação sobre o produto: como é feito, quem produziu, validade, quantidade, etc). Essa foi uma luta de organizações de consumidores pelo DIREITO à INFORMAÇÃO. E, em Braga, a Cooperativa Novos Pioneiros foi muito ativa nessa luta, tanto  a nível nacional como a nível europeu.

terça-feira, 2 de janeiro de 2018

A ÁGUA NA CIDADE DE BRAGA

Vais trabalhar de modo diferente!
É muito mais simples perceber situações do dia a dia, e resolver algumas delas, quando se usam conhecimentos de várias disciplinas, se trabalha em grupo e com vários professores a colaborar no mesmo projeto.
E que, para compreender o presente e preparar um futuro sustentável, é importante conhecer o passado da cidade onde vivemos.
Mas, para aprenderes deste modo, tens de fazer a tua parte: esforço, curiosidade, apresentar dúvidas e sugestões, colaborar nos processos, estar atento/a ao que se passa à tua volta (em tua casa, na escola, na freguesia, na cidade) e contribuir para que os problemas sejam resolvidos.
Neste blogue, em comentários a este tema, partilha o que aprendeste relativamente  cada assunto, identificando-o com o respetivo número. 
Dá  a tua opinião sobre o modo como estás  a trabalhar. Aprendes melhor? 

1. De onde vinha a água que a população usava desde antes de Bracara Augusta até ao séc. XVIII? Para que era usada? 
O concelho de Braga, tal como outros vizinhos, é das regiões do país onde há mais pluviosidade (chuva). Tem duas bacias hidrográficas: a do rio Cávado e a do rio Este (afluente do rio Ave). A cada um desses rios chegavam vários ribeiros.
Em Braga existia muita mais água do que se vê hoje em dia. Havia uma linha de água que corria, possivelmente, no sítio onde é hoje a Rua do Souto e que abasteceria o balneário pré-romano da estação da CP (banhos rituais da II Idade do Ferro - a.C.).
Estudos arqueológicos realizados na Rua do Caires e na Av. da Liberdade, apresentam sinais da passagem de água. A Av. da Liberdade foi construída no local onde era a Rua da Água. A Fonte do Ídolo (séc. I d.C.), junto à Av. da Liberdade, é um santuário dedicado a Nábia, deusa da água e dos rios.
Outros estudos referem como provável que alguns aquedutos romanos tenham abastecido a cidade de água durante os séculos seguintes. Os romanos também construíram poços em vários pontos da cidade.
Mas, à medida que  a cidade crescia, a necessidade de água era cada vez maior.
Antes do séc. XV os poços já não eram suficientes para abastecer a cidade. A água foi captada fora e levada através de "canos de pedra encobertos para abastecer fontes, tanques e lavadouros".
Até 1790, eram os arcebispos quem mandava em Braga e, como tal, as obras públicas eram da sua responsabilidade. No séc. XVI, D. Diogo de Sousa mandou construir fontes na cidade. No séc. XVIII, foi construído um sistema hidráulico nas Sete Fontes, iniciado pelo arcebispo D. Rodrigo de Moura Teles e terminado pelo arcebispo D. José de Bragança, que o aumentou, construindo o conhecido Complexo das Sete Fontes. Levou a água até à cidade e resolveu problemas graves de saúde devidos à falta de condições de higiene, pois não havia água para uso humano e para lavar casas, ruas, etc. 

2. Quais os monumentos que temos, cá em Braga, associados à água?
Vais descobrir na visita ao Museu D. Diogo de Sousa e aos monumentos de Bracara Augusta:
E, também, na visita ao Complexo das Sete Fontes.

3.  Onde havia água no final do séc. XX?
Sabes quais são os rios que existem hoje em Braga. Havia ribeiras? Onde?
Quais eram as zonas da cidade com mais água subterrânea?
Vais descobrir onde havia água em Braga. Comparar mapas antigos com mapas modernos é o desafio que te colocamos.
  • Qual será a origem do nome Lamaçães, que é hoje uma freguesia com grande zona residencial e comercial?
  • Por que razão se chamava rua da Água à rua que existia no sítio onde hoje é a Av. da Liberdade?
4. Onde há água em Braga no séc. XXI?
        Rio Cávado                                                                 Rio Este


Será só no rio Cávado e no rio Este?
Quais as ribeiras antigas que ainda existem no séc. XXI?
O que aconteceu às outras?
Qual dos rios tem água que pode ser usada para abastecimento público?
Haverá mais algum sítio com muita água doce?

5. De onde vem a água que chega a nossas casas?
Sabes que, hoje em dia, as casas são abastecidas por água analisada e tratada, de modo a garantir a qualidade e não haver dúvidas quanto à sua segurança.
É a AGERE que nos fornece a água que capta na Estação de Tratamento da Água (ETA), na Ponte do Bico. 
Para saberes onde há água e quais os cuidados que devemos ter com a água que usamos, consulta a informação:  Qual a água que podemos beber? e Onde estão os reservatórios de água doce?
Em Braga, haverá outras alternativas para bastecimento de água à população?
Pensa como era no passado...

6. Qual a área da escola ocupada por solo permeável e por solo impermeável?
Por que razão é importante garantir solo permeável nas cidades?
Consulta a informação Por que razão é importante o solo permeável?
Calcula a área da escola ocupada por solo permeável e por piso impermeável.
Onde temos solo permeável? E piso impermeável? 
Qual é maior: a área ocupada por solo permeável ou a ocupada por piso impermeável?
Para onde vai a água doce que cai no solo permeável? E a que cai no piso impermeável? 
Qual a água que fica nos lençóis de água no concelho de Braga? Qual a que vai para os rios, e daí para o mar, perdendo-se como recurso de água doce?
A cidade de Braga será uma cidade onde predomina solo permeável ou impermeável? Os canteiros que temos, em Braga, por cima de parques ed estacionamento e na Av. da Liberdade, por cima do túnel, será que permitem a infiltração de água doce para os lençóis de água subterrâneos?
Consulta a informação.

O que descobriste sobre cada uma das questões? Responde como comentário a este blogue.

7. Fórum
Depois das grandes descobertas que vais fazer sobre a ÁGUA NA CIDADE DE BRAGA, que vais registando no guião de cada tarefa, nada melhor do que um Fórum para debater o assunto, identificar problemas e tomar decisões quanto a medidas a tomar.

                                                                                                                                        
Bibliografia consultada:
Martins, Manuela - "Caminhos da água: paisagens e usos na longa duração, CITCEM.


segunda-feira, 1 de janeiro de 2018

RIO CÁVADO E RIO ESTE

Os rios transportam água doce.



Nascem nas serras, atravessam vales e dirigem-se ao mar. Alguns rios percorrem centenas e outros milhares de quilómetros. No mar a água doce mistura-se com a água salgada e deixa de poder ser usada para consumo humano. 

Os ribeiros e os rios mais pequenos são afluentes de rios maiores (juntam-se aos maiores e aí terminam o seu percurso).
Retirado aqui




bacia hidrográfica de um rio é toda a zona por onde o rio passa e de onde recebe água. Água que escorre das montanhas e se junta à água que vem desde a nascente.
Aprende os termos corretos sobre o rio:
De que lado é a margem esquerda? E a direita?
A nossa escola está do lado direito ou do lado esquerdo do rio Este?


Temos dois rios no concelho de Braga: o rio Este e o rio Cávado.                                                                           
Onde nasce o rio Este? Por onde passa? Quantos km tem? Onde desagua? Como é usado?
Retirado aqui
Passa no cidade, junto à Ponte S. João. É um rio estreito que, ao longo dos anos, foi muito alterado. No final do séc XX foi canalizado com cimento. Ficou sem quedas de água que faziam a oxigenação e garantiam o oxigénio aos seus seres vivos aquáticos.
Em 2012, o cimento foi substituído por granito, construídas quedas de água e uma via pedonal ciclável
Em 2017, ainda  há poluição no rio Este!

Faz o percurso pedonável e descobre os problemas que ainda existem no rio Este.

Onde nasce o rio Cávado? Por onde passa? Quantos km tem? Onde desagua? Como é usado?
Retirado aqui
O rio Cávado tem vegetação ribeirinha autóctone (amieiro, salgueiro  carvalho, etc.) que dá abrigo a uma grande variedade de animais selvagens, manteve vários exemplos de património local associado à água (pesqueiras, moinhos, azenhas, engenhos), tem várias praias fluviais, é ótimo para desportos aquáticos, fornece água aos habitantes de Braga, etc. É um rio importante para Braga e concelhos vizinhos.



Sabias que o rio Cávado separa o concelho de Braga, dos concelhos de Vila Verde e de Amares?
Retirado aqui
Sabias que a água que sai das torneiras de tua casa, e que é fornecida pela Agere, vem do rio Cávado? É na Estação de Tratamento de Águas (ETA) que a água é recolhida, analisada e tratada, antes de entrar na canalização que a leva a nossas casas. 


Queres conheceres melhor o rio Cávado e o rio Este? Pesquisa no lado direito deste blogue. 

PERFIL DOS ALUNOS À SAÍDA DA ESCOLARIDADE OBRIGATÓRIA

O que distingue o desenvolvimento do atraso é a aprendizagem. Tudo se aprende na vida e ao longo da vida:  aprendemos conhecimentos varia...